terça-feira, 10 de março de 2009

Eu ouvi dizer que o amor é cego




"Naquela mesma manhã eu decidi caminhar um pouco, tentar esquecer o que aconteceu na noite passada. Porém andar só me fez lembrar, de cada cena, de cada palavra que eu vou e também das que tive que te dizer. Sabemos muito bem que, por mais que o amor parecesse estar sempre ali, fomos alimentados por uma raiva e por um medo de abandono. Não sei o que nos tornamos, sinceramente, não sei ! Mas não sou de culpar, ou desculpar. Simplesmente somos assim, e o que vai ser depois que você acordar ? Esta muito longe dos meus passos.

De que adianta me explicar ? Você sempre vai achar uma maneira de contradizer o que acabou de escutar, mesmo que seus argumentos só culpem mais ainda suas atitudes. E eu também não gosto de deixar tudo no silêncio, não consigo aceitar o fato de termos que sempre deitar na mesma cama, gelada, pensando em como começaríamos a expor os pontos de vista. Na verdade, deveríamos pensar em como pedir desculpas um para o outro, olhos nos olhos.

É nesse frio que eu acabo lembrando o quanto gosto de você, mas ao mesmo tempo sei que esse "gostar" irá fazer com que eu brigue cada vez mais. Fujo do controle quando eu te olho e parece que você esta distante de tudo, principalmente de nós. Infelizmente eu não sei simplesmente chegar e dizer que te amo, eu preciso sair, preciso ver outras pessoas e acabar fazendo a pior escolha. No final da noite, eu volto para a sua cama, ainda mais gelada do que na noite passada.

O problema é que me pareço tanto com você, que não aceito o fato de haver erros e enganos. No final das contas, eu sempre volto. Deve ser porque ouvi dizer que o amor é cego, e eu preciso dizer , que ainda te amo. Estúpida, carente, manipuladora, seja lá o que for, você também é parte de mim ."

Um comentário:

anita disse...

eu sou assim mesmo
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk