sábado, 21 de fevereiro de 2009

Resenha , show no Castelo Rock bar 21/02/2009




Neste sábado de Carnaval, dia 21/02 aconteceu mais um daqueles shows contraculturais que, em grande parte, salvam o feriado daqueles que não caem no samba. Quando cheguei no Castelo Rock bar ( vulgo "Skinão" ), uma banda se preparava para tocar, agora não me lembro exatamente do seu nome, o microfone não estava muito bom. Acho que era como Hídrica ou Híbrida. Até procurei no Myspace e Fotolog, mas ambos sem sucesso. De qualquer forma a banda fez sua apresentação variando o set list , mesclando suas próprias composições com covers que ajudavam a identificar um pouco mais a personalidade da banda. Dentre estes covers , posso citar o de Rage Against The Machine, Killing in the name. A banda tocou bem e não faltou animação por parte do público, no entanto tocar bem não basta e ser previsível faz com que na quarta música as pessoas que não tem amizade com os integrantes da banda saiam para tomar um ar (álcool). Logo em seguida outra banda com som pesado e ao mesmo tempo melódico fez sua apresentação. Creio eu ( mais uma vez não consegui ouvir bem o nome da banda) que a banda se chamava Attack. Como havia dito logo atrás, a banda mesclava agressividade com harmonia de vocais ( dois vocalistas seguravam as pontas, e em certos momentos não se faziam entender devido ao volume altíssimo de ambos os microfones). O show contou com covers também, mas nenhuma que merecesse um destaque maior. Neste ponto eu fui beber cerveja e não vi o resto da banda ( ¬¬ ).
Por ultimo, a banda Circular monta seus equipamentos e se prepara para tocar. Esta banda eu posso até comentar algumas coisas com mais responsabilidade e precisão , já que, o vocalista Gabriel é também baterista da minha banda. Após uma breve regulagem no som a banda começou a tocar suas músicas, lembrando o Hardcore da metade dos anos 90, que por mais agressivo e técnico que fosse ( ambos os guitarristas da banda tocaram muito bem ) sempre caia para uma "pegada" mais leve e distante das raízes do estilo. O vocalista não poupou esforços e agitou junto com o público. A tentativa foi válida apesar de pouco eficiente.

Bandas tocando, é interessante ver que o cenário underground da Zona Leste resiste às imposições criadas em torno de tocarem em casas. Geralmente ou você tem que vender no mínimo R$300,00 de ingressos ou tem um tempo limitadíssimo para tocar. Sem falar em outros locais ( que me recuso a chamar de casa ) que nem ao menos proporcionam equipamentos, apenas lucram com o consumo dos amigos que sempre prestigiam o show das bandas locais.

Papo vai papo vem, eu posso dizer que hj em dia as bandas se preocupam bem mais em fazer um som limpo e beeem tocado (vale lembrar que bandas setentistas [Buzzcocks] tbm tocavam beeem, porém com algo a mais) o que por um lado deixa a desejar na verdadeira atitude rock. Ok, se estamos falando de Hardcore então podem lembrar do lendário Dead Kennedys e seu vocalista que parecia jogar sua alma nos Mosh's , sem se preocupar com os flashes. Jello Biafra tinha algo a mais. Deste modo, o que vi foram bandas que tocaram dentro do som que se propuseram a fazer e se esforçaram para que todos os que assistiam sentissem aquilo que suas letras transmitiam( ou tentavam transmitir). Não vou mentir e ser hipócrita, a regulagem do som estava muito ruim , guitarras gritavam mais do que os vocalistas e o baixo, quase esquecido, lutava para marcar sua presença. Este é o Hardcore de 2009. Ame-o ou deixe-o !

Vale lembrar que essas bandas não dependem de tubarões mercenários para realizarem seus eventos, logo, tal atitude de montar um esquema com outras bandas já faz toda a diferença. O que não pode e deixar que isso se torne apenas mais uma diversão de feriado , ao invés de se tornar a cena que ANSEIA por um Rock menos decente e mais inconseqüente!

Obs. Nomes exatos de bandas,músicas, integrantes não fazem parte das minhas prioridades. Presto atenção no som e na proposta da banda em palco. Caso alguém que leia, queira saber mais sobre as bandas, faça como eu : Vá nos shows !

O rock agradece!

2 comentários:

k e l disse...


Falae Lucio rs
Resenha digna de coluna de blog musical... cheia de marra e tudo mais.
Música é 101% sensoriale eu amo isso, tava falando disso hoje mesmo...
Enfim, eu tava doida pra ir num "Carnval Revolução" mas nem sei o que se deu, me contive com o Darknight em Imax.!

beijooo

eu de novo. K disse...


ps. e pra fazer cover legal de RATM tem que ter responsa.!